Governos de Alemanha, Espanha, Portugal e Peru condenam ataque à Paris



A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou-se hoje “profundamente emocionada” com os atentados ocorridos durante a noite de hoje (13) em Paris, em que morreram várias dezenas de pessoas. Os governos de Espanha, Portugal e Peru também condenaram o ataque.

Em comunicado curto, Merkel assinalou que os seus pensamentos estão com as vítimas destes “ataques evidentemente terroristas”, os seus familiares e todos os habitantes de Paris. O governo alemão está em contato com o Executivo francês e lhe transmitiu a solidariedade do povo germâmico.

O governo espanhol condenou "da forma mais inequívoca e enérgica" o que descreve como "abomináveis ataques terroristas", esperando que os seus responsáveis respondam pelos crimes o quanto antes.

"A Espanha recebeu com profunda consternação as notícias dos abomináveis atentados terroristas e, aparentemente, uma tomada de reféns perpetrados hoje em vários pontos de Paris, que custaram a vida a dezenas de pessoas e numerosos feridos", disse o presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy em um comunicado oficial, manifestando o desejo de que "os seus responsáveis respondam o quanto antes por estes crimes perante a Justiça".

O presidente da Assembleia da República portuguêsa, Eduardo Ferro Rodrigues, declarou “horror, repúdio e indignação” com os ataques. “Em nome do Parlamento português quero manifestar o horror, repúdio e indignação pelos atentados terroristas de Paris e expressar a solidariedade democrática á França e aos seus representantes”, disse Ferro Rodrigues. “A intimidação violenta contra a vida em liberdade não pode fazer ajoelhar os nossos valores”.

O Presidente de Peru, Ollanta Humala, condenou “energicamente” os ataques terroristas ocorridos hoje em Paris. Em mensagem colocada na sua conta na rede social Twitter, Humala indicou que o Executivo peruano manifestou a sua solidariedade ao povo francês.