Extensão do programa Segundo Tempo é apresentada no Rio

Programa Segundo Tempo - Forças no Esporte é uma parceria das Forças Armadas e do Ministério do Esporte, que beneficia mais de 21 mil crianças e jovens no País


O Programa Segundo Tempo - Forças no Esporte (Profesp) foi apresentado à imprensa, nessa quinta-feira (31), no Rio de Janeiro, pelo Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (Cpor) e o Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan).

O Profesp é uma extensão do Programa Segundo Tempo, do governo federal, resultado de parceria entre Forças Armadas, Ministério do Esporte, Ministério da Defesa e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Atualmente, o programa beneficia, em todo o Brasil, mais de 21 mil crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social, com atuação em 89 municípios de 26 Estados brasileiros. A missão do projeto é democratizar a prática do esporte e auxiliar na formação de cidadãos por meio de atividades educacionais, culturais e esportivas como ferramentas de inclusão social.

“O Profesp é um programa maravilhoso que consegue realizar duas coisas ao mesmo tempo: a inclusão social, pelo esporte educacional, e também o alto rendimento, ou seja, sem nenhuma exigência que a criança vire um atleta profissional”, avaliou o coordenador da Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis), Caio Marcio de Barros. 

Após a solenidade, todos os convidados puderam visitar e acompanhar o funcionamento das oficinas do Cpor e do Cefan,que oferecem aulas de esportes variados e incluem, ainda, atividades de iniciação profissional.

“O Profesp é a implementação militar do programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. Essa parceria é muito produtiva e nos enche de orgulho, principalmente em perceber que há uma perfeita associação entre o esporte em desenvolvimento e o esporte de alto rendimento. E acho importante ressaltar que o bem que nós queremos fazer a esses jovens é o mesmo bem que eles nos fazem, quando nos ajudam a dar significado à nossa existência”, concluiu o presidente da Comissão de Desporto Militar, vice-almirante Paulo Martino Zuccaro.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Esporte